A LARAMARA recebe a demanda de diversos setores da sociedade como a Assistência Social, Educação e Saúde, além da busca espontânea da própria pessoa com deficiência visual e família ao tomarem conhecimento da instituição por pessoas amigas e pelos diversos veículos de comunicação de massa.

Passo 1: Entrar em contato com a LARAMARA

Passo 2: Quais documentos são necessários para a triagem?

O processo de triagem inicia com um agendamento no Serviço Social, onde são informados os documentos necessários. Assim que for agendado você precisará ter em mãos: relatório oftalmológico com diagnóstico, comprovante de matrícula (quando o usuário estiver na escola), comprovante de residência, comprovante de renda familiar, cópia do CPF e RG do usuário e/ou de seus responsáveis (para menores de idade) e 01 foto 3×4 do usuário.

Passo 3: Avaliação funcional da visão e outras avaliações

Após a etapa do Serviço Social, você será encaminhado para o Serviço de Atenção Oftalmológica Especializada e Ortóptica onde pode obter laudos médicos, fundamentais na obtenção dos benefícios socioassistenciais (Benefício de Prestação Continuada, Bilhete Único Especial, Lei de Cotas e outros). Na sequência, passa pelas Avaliações da Funcionalidade da Visão e de Orientação e Mobilidade.

Para que serve todas estas avaliações?

Estas avaliações detectam a necessidade de outros recursos como a máquina Braille (recurso importante no processo de escrita e leitura das pessoas cegas), prescrição da bengala longa (fundamental na obtenção de autonomia e independência) e encaminhamentos para terapias diversas a outros serviços da comunidade. Além disto, verificam as condições funcionais dos ambientes frequentados por estas pessoas e encaminham relatórios individualizados, orientando as adaptações necessárias, baseadas nas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Etapa 4: Finalizando o processo de entrada na instituição

Faz parte também desta entrada do usuário na instituição o atendimento no Serviço de Psicologia, como complementação ao apoio iniciado no Serviço Social. Finalizado este processo, os usuários podem ser integrados aos Programas e Projetos da instituição ou referenciados a serviços na comunidade com os devidos relatórios especializados para orientação.

Integração de crianças e adolescentes

A partir dos dados levantados na triagem, e de acordo com os pareceres dos profissionais, é feita a integração ou não ao Programa de Atendimento Especializado. Os usuários que não necessitam de integração, ou não podem se comprometer com o atendimento semanal, são convidados a retornar para reavaliação após um ano ou acompanhamento periódico de acordo com a necessidade.

Ainda com dúvida?

Garanta a continuidade e a ampliação dos atendimentos das crianças, jovens e adultos com deficiência visual