Como tudo começou

Fundada no dia 7 de setembro de 1991, pelo casal Mara e Victor Siaulys, nascemos em São Paulo, no bairro da Pompéia. A primeira sede foi em casa: quando criança, Seu Victor havia morado nessa casa e a cedeu para começar esse trabalho de dedicação e atenção.

Essa dedicação nasce com a pequena Lara, filha do casal. Diagnosticada com retinopatia da prematuridade, Dona Mara e Seu Victor buscam instituições e profissionais, para realizar o tratamento e da reabilitação de Lara. Iniciou-se, assim, uma pesquisa abrangente sobre cegueira e deficiência visual, como meio para entender e compreender a realidade dessa pessoa, de seus familiares e seu mundo.

Essa pesquisa, juntamente com o tratamento da Lara, levou a Dona Mara a cursar pedagogia e uma especialização em Deficiência Visual, na Universidade de São Paulo – USP. Com esse relato diário, seu interesse em expandir essa experiência e conhecimento em forma atendimento aos mais vulneráveis, o casal reuniu um grupo de profissionais atuantes na área da pessoa com deficiência visual, para fundarem a Laramara. O nome é a junção do nome da filha – Lara – e da mãe – Mara.

Fachada da primeira sede de Laramara. Um sobrado com grades brancas; duas grandes janelas retangulares, cujos vidros refletem parte do entorno. Acima da grade, lê-se Laramara e à direita, o número 164
Close de um menino de aproximadamente 8 anos, cabelos curtos, óculos e largo sorriso. Está na piscina de bolinhas e à sua frente 3 bolas nas cores amarelo, azul e vermelho

Experiência desde cedo

A medida que a convivência em instituições de saúde, a troca de experiências com famílias e pessoas com deficiência visual e a evolução diária da Lara, permitiram que Dona Mara percebesse uma necessidade de interagir e de brincar pelas crianças.

A partir de sua experiência na Santa Casa de Misericórdia, Dona Mara envolveu-se cada vez mais com a causa. Foram oito anos de atuação na Santa Casa, em que conheceu a realidade distinta de inúmeras famílias. Dentre os obstáculos enfrentados por essas famílias, ela observou a inexistência ou precariedade de serviços especializados, ausência de intervenção precoce, falta de apoio e suporte as famílias e a inclusão das crianças no sistema escolar e comunitário.

Seu Victor acompanhava de perto o trabalho voluntário na Santa Casa, colocando-se à disposição para minimizar as limitações desta atuação. Aliando as habilidades de gestão e inovação de um, com a experiência in loco e conhecimento adquirido de outra, surge a Laramara.

Desenvolvimento e inclusão

O trabalho da Laramara começou com crianças de 0 a 7 anos, sendo estendido a outras faixas etárias, com maior acompanhamento, demandando a ampliação das atividades e programas para outras faixas etárias.

Em 1996 e 1997, com novas demandas, ampliamos o projeto educacional, desenvolvendo programas e atividades com foco no mundo do trabalho, nas artes e cultura para jovens e adultos. Com isso, nasceram os Programas de Preparação para o Trabalho (PPT) e de Expressão Artística (PEA), atualmente reunidos no Programa de Jovens e Adultos (PROCEJA).

Com pioneirismo, trouxemos para o país a fabricação da máquina braille e bengala longa, importantes para a educação e reabilitação da pessoa com deficiência visual. Em nossa atuação, firmamos parceria com empresas privadas e organismos públicos para entregar um número significativo desses equipamentos, para famílias carentes de todo o Brasil.

Close de uma senhora, cabelos claros e curtos. Usa blusa verde e um colar. Tem no rosto, largo sorriso
COMO TUDO COMEÇOU
Com o intuito de promover um atendimento humanizado e de maior alcance as pessoas com deficiência visual, nasceu nossa instituição
ATUAMOS EM PROL DA CAUSA
Nossa atuação pela causa da deficiência visual vai além do atendimento direto. Conheça nosso trabalho

Garanta a continuidade e a ampliação dos atendimentos das crianças, jovens e adultos com deficiência visual